Como ter mais resiliência? Coisas passageiras X Coisas permanentes

Eu já disse aqui várias vezes que a resiliência de uma pessoa tá relacionada a diversos fatores psicológicos.

Esses fatores psicológicos afetam como você pensa sobre as coisas que acontecem no seu dia a dia, sejam problemas ou coisas boas.

Carol Dweck fala que é tudo uma questão de mentalidade, fixa ou de crescimento.

Pessoas com mentalidade fixa acreditam que coisas ruins sempre acontecem com elas, e são permanentes.

Pessoas com mentalidade de crescimento acreditam que coisas ruins apenas acontecem, e que são passageiras.

Vamos cavar mais esse conceito, e casar ele com resiliência! Vem comigo!

Estilos de explicação

Antes de falar de estilos de explicação, precisamos falar sobre você.

Ninguém fala sobre isso, e pode parecer meio doido, mas você conversa com você mesmo nos seus pensamentos. Isso se chama reflexão.

É como se você falasse sozinho, mas você faz isso sem emitir sons.

Quando você reflete sobre as coisas que acontecem com você, as coisas que você faz, você inventa explicações para isso. Afinal, tudo é racional, e você tem que achar um jeito de explicar.

O problema entra quando você ficou tão acostumado a explicar as coisas para você mesmo de uma maneira, que não consegue sair dessa sinuca de bico.

E essa maneira pode ser boa ou ruim, mas geralmente ela pende pra ruim.

Você aprendeu isso desde criança ou desde a adolescência. Mas ao contrário do que muitos pensam, a gente pode mudar isso a qualquer momento na nossa vida. 

E quem diz isso não sou eu. São cientistas que passaram a vida inteira estudando isso.

A permanência de coisas boas ou coisas ruins

A resiliência de uma pessoa está muito conectada a como ela justifica, explica pra ela mesma as coisas que acontecem durante a caminhada delas.

As pessoas que desistem mais rápido são aquelas que acham que tudo que acontece com elas tem um efeito permanente, ou são para sempre. 

Em outras palavras, elas acham que, vamos supor, ser rejeitado em uma entrevista de emprego significa que elas nunca conseguirão um emprego.

E isso abre alas para teorias da conspiração que você mesmo pensa com você. Os recrutadores tem uma rede de comunicação pela qual passam todos os currículos e agora todos estão rindo da sua cara e de você por causa da sua incompetência em conseguir aquele emprego. Muahahahaha.

Parece loucura. Mas não é. Se você nunca passou por isso, não taxe as pessoas que pensam assim de loucas. Eu já fui assim. Às vezes esse pensamento ainda passa pela minha cabeça.

E você mesmo pode pensar assim e nem saber. Dá uma olhada aqui:

Coisas ruins e permanentes

Vamos ver mais de perto se você tem uma mentalidade voltada pra permanência das coisas ruins.

Veja com quais explicações você mais concorda:

  • Você esqueceu o aniversário de alguém
    • porque você é ruim em lembrar datas
    • porque você tava preocupado com outras coisas
  • Você perdeu a paciência com alguém
    • porque ele ou ela sempre enchem teu saco
    • porque ele ou ela te ofenderam
  • Você esqueceu de entregar um relatório
    • porque você sempre tá postergando as coisas
    • porque você foi preguiçoso
  • Você tá se sentindo cansado essa semana
    • porque você nunca consegue descansar
    • porque você tava muito ocupado
  • Um amigo de disse alguma coisa que te deixou triste
    • porque ele sempre fala as coisas sem se importar com os outros
    • porque ele tava de mal humor e descontou em vc
  • Você se machuca quando faz atividade física
    • porque é difícil fazer as coisas certo
    • porque você não prestou atenção
  • Você ganhou peso nas férias e agora não consegue perder
    • porque dietas não funcionam no longo prazo
    • porque a dieta que você tentou não funcionou

Qual o teu padrão de respostas? Você respondeu mais o primeiro porque, ou o segundo porque?

Eventos permanentes X Eventos passageiros

Se você respondeu mais o primeiro porque, você tem a tendência de visualizar as coisas ruins como permanentes.

Olhe ali de novo, e veja a predominância de justificativas com “sempre“, “nunca“, e “é“.

O que isso significa? Que você justifica para você mesmo as coisas que dão errado como sendo para sempre. 

Ou seja, você desiste, porque você acha que não tem controle. As coisas “sempre” ou “nunca” “são” como você precisa.

Pronto. Zero resiliência. Você para de tentar porque não funciona. Nunca vai funcionar. Sempre foi assim. Tá fora do teu controle.

Agora, se você respondeu mais o segundo porque, você é mais resiliente. Você acredita que pode mudar as coisas, e por consequência, age para mudar as coisas.

Repare o caráter passageiro das respostas do segundo porque: “estava”, “foi”, e demais coisas no passado. Elas já acabaram, já passaram. Você superou. Acabou. Hora de tentar de novo.

Eu vejo bastante isso nas pessoas que falam que não são empreendedoras. São pessoas fenomenais, mas elas tem uma tendência a ver as coisas como permanentes.

O mesmo acontece com aqueles que falam que não gostam de ler. Não gostam de fazer atividade física, não gostam de fazer dieta. Eles desistiram na primeira tentativa.

Dá uma olhada nessa tipologia do Seligman:

Eventos Permanentes X Eventos passageiros:

  • Eu tô velho e ultrapassado  X  Eu tô cansado
  • Dietas não funcionam  X  Dietas não funcionam quando você não segue elas
  • Você sempre reclama de tudo  X  Você reclama quando eu não faço o que deveria fazer
  • O meu chefe é um FDP  X  O meu chefe tá de mal humor
  • Você nunca fala comigo  X  Você não tem falado comigo nos últimos tempos

Porque pensar que coisas ruins são permanentes acaba com a sua resiliência?

Se você pensar, as coisas ruins que acontecem enchem o saco de todo mundo.

Nenhuma vida é só alegrias, flores, e festas. Isso é o que as pessoas colocam no instagram.

Todos nós temos frustrações, dias de merda, e socos no estômago. 

Pensar que as coisas ruins são passageiras te dá uma puta oportunidade de superar essas coisas. Afinal, se elas vão passar logo, cara, então não dá nada. Bola pra frente.

Agora, pensar que coisas ruins são permanentes te paralisa. A dor continua, latejando, você só pensa nela, vira ódio. Ela te deixa sem reação por dias, semanas, até meses. Ela te impede de voltar depois de grandes merdas que acontecem.

É pra evitar que esse último aconteça com você que eu escrevo aqui todo dia, cara. 

Eu trabalho com desenvolvimento humano e organizacional, e eu acredito que as pessoas querem se desenvolver, mas podem estar indo em caminhos mais difíceis que o básico.

Só você pensar de uma maneira diferente sobre as coisas que acontecem na tua vida te dá uma vantagem fenomenal sobre quem você era antes. É evolução de verdade.

E essa evolução não é só pra você, é para todos que estão perto de você. Eu te garanto isso. Todos ficam mais felizes quando você está feliz. Seu trabalho melhora, a sua produtividade melhora, cara, tudo melhora.

Se você acha que tem alguma coisa pra melhorar, marca um horário comigo. A gente conversa por email primeiro, e vamos nos acertando! 

Clique Aqui para agendar um horário!

REFERÊNCIAS

Dweck, C. S. (1975). The role of expectations and attributions in the alleviation of learned helplessness. Journal of personality and social psychology31(4), 674

Seligman, M. E. (2006). Learned optimism: How to change your mind and your life. Vintage

Duckworth, A., & Duckworth, A. (2016). Grit: The power of passion and perseverance (Vol. 124). New York, NY: Scribner

Photo by Brooke Lark on Unsplash

3 comentários em “Como ter mais resiliência? Coisas passageiras X Coisas permanentes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s