Monte um objetivo perfeito e eu te digo porque ele está errado

A gente vive em um mundo muito louco, cara. É um mundo do curto-prazo, um mundo do tudo pra ontem. O mundo do “tô atrasado”, de “eu não tenho mais tempo”.

Isso também acontece com organizações.  Uma empresa que quer ter lucro quer ter lucro rápido. Elas querem técnicas e softwares que funcionem agora, rápido. Elas querem mensurar tudo, até o imensurável.

A gente inventou maneiras de mensurar e normalizar a personalidade das pessoas, cara. Pra que? Pra dar um jeito nelas no curto prazo.

Gradualmente as empresas abdicaram das missões e visões para focar em objetivos. Eu falo disso no meu livro.

Cada vez menos as pessoas se preocupam com o longo prazo, que realmente importa.

E eu entendo isso. O longo-prazo tá longe, não dá pra ver direito. Ele é nebuloso. Ele é intangível. Cara, tá muito longe então eu vou fazer o que eu posso agora, certo?

E se você pudesse trazer o longo prazo pra mais perto de você?

Esses dias alguém me mandou um meme perguntando a idade que eu teria na próxima Copa do Mundo. Que susto que eu levei, cara. 

Essa pessoa, sem saber, trouxe o futuro para o presente. Ela me deu essa experiência. E é isso que você quer fazer com o seu longo-prazo. Amarra ele numa cordinha, e puxa com tudo pra trazer ele pra agora.

Mas Caio, eu não tô entendendo. Como eu faço as pessoas entenderem o que a minha empresa quer no longo prazo? Como que eu consigo fazer com que as pessoas sejam mais engajadas, mais produtivas, e mais felizes?

Presta atenção. Sente bem a sua bunda na cadeira e vamos nessa.

Proximidade

Vamos pegar a NASA como exemplo mais uma vez. Afinal, eu nunca vi um objetivo ser tão abstrato e distante quanto o deles: “avançar a ciência

Que merda é avançar a ciência, cara?

De certa forma, quando eu coloco isso aqui pra você, estou avançando a ciência, porque tô comunicando uma coisa dificil de uma maneira mais fácil para as pessoas entenderem e aplicarem

E também, avançar a ciência não é um motivo para você acordar de manhã. Digamos, um analista de folha de pagamento que faz cálculos do e-social o dia inteiro dificilmente vai acordar pela manhã e dizer:

Que tesão! Estou fazendo cálculos e mexendo com o e-social para avançar a ciência!

Não, porra.

“Avançar a ciência” é um objetivo bosta por causa de duas razões.

No caso da NASA, eles mudaram o objetivo de “avançar a ciência” para “ir para a lua”.

E agora eu vou entrar nos pormenores porque esse objetivo é sen-sa-cio-nal.

Proximidade no Espaço

Avançar a ciência está só na sua cabeça.

Pense, o que é avançar a ciência? Nada. Não existe nada concreto aí.

Agora, ir para a lua é MUITO concreto.

E uma das consequências de ir para a lua é que você vai ter que avançar a porra da ciência pra fazer isso.

Tem noites que você olha pra cima e a lua tá lá, gigante. Imensa. Você sente que você quase pode alcançar ela, cara. Isso é maravilhoso.

Faça o exercício de trazer a missão da sua empresa, ou a sua própria missão, pra perto de você. Amarre uma cordinha no seu objetivo de longo-prazo, e traga ele pra frente pra ver o que acontece.

Veja o meu exemplo. Eu amarrei uma cordinha no “fazer as pessoas serem mais felizes e empresas crescerem mais” e saiu um ebook sobre estratégia. Daqui a pouco sai um curso também.

Você precisa ter objetivos de curto prazo que sejam a tradução imediata da tua missão, cara. Você precisa ter a capacidade de TOCAR a tua missão.

Proximidade no Tempo

Eu sou um idealista. Minha noiva que fala que eu sempre sonho muito alto – e eu gosto disso em mim. Eu tiro os pés do chão e começo imaginar novas vidas.

Mas daí cagou-se. É tudo muito longe. Tá tudo muito distante. Tem muito trabalho pra fazer.

Seu tempo, seu prazo, ele tem que ser curto. Ele tem que ser realista. E se você ainda não deu um prazo pros seus objetivos, eu aconselho que você pare de ler AGORA, e defina.

Eu tenho 2 anos pra estar palestrando pelo Brasil, e até o final deste ano pra colocar um curso de gestão nesse site. 2 anos para ser conhecido no Brasil inteiro, tipo os superstars que a gente tem por aí, e até o final de 2018 pra rodar um curso aqui.

Você tem que ter a noção de que o que você quer que aconteça vai ter que acontecer amanhã. E por amanhã, eu falo em algum tempo definido.

Se você não tem um prazo, dê um prazo. Às vezes a gente tem que cagar um prazo, e ir ajustando com o tempo. A gente tende a pensar que as coisas vão ser mais fáceis. Mas independente de tudo isso, dê um prazo.

Algumas pedras no caminho

Você precisa mudar o enquadramento das pessoas (e o seu) quanto aos seus objetivos. Isso te dá um puta ganho de felicidade, significado do seu trabalho, e por consequência, produtividade.

Desenhe. Pense que você tem 5 anos e desenhe seu objetivo. Tangibilize. Explique para você mesmo há 10 anos atrás o que você quer. Quanto mais fácil você explicar, melhor.

Essa realidade observável, essa imaginação, é gasolina para seu trabalho, cara. Eu passo de 1 a 2 horas todo dia escrevendo isso aqui. Eu tenho FOGO no rabo. Eu não consigo ficar parado porque cara, eu tô fazendo acontecer.

É como se eu pudesse ver, como se eu pudesse tocar, como se eu pudesse viver o futuro.

É uma sensação maravilhosa de responsabilidade por algo maior. Objetivos fáceis de visualizar são melhores que aqueles abstratos. Objetivos com prazo são melhores que os sem prazo.

Mas é óbvio que tudo o que você faz tem que estar conectado com seu objetivo. Não adianta você ter o objetivo de ir pra lua e ficar cachaceando o final de semana inteiro, bicho.

Dá trabalho. Desanima. Dá vontade de jogar tudo pro alto às vezes. Dá vontade de ter mais mãos só pra mostrar mais dedos do meio.

Isso é completamente normal. Principalmente quando teu prazo é muito imediato. Porque você tem uma distinção muito clara entre “sucesso” e “fracasso”.

E todo mundo tem medo do fracasso, cara.

Eu também tenho. Mas eu estou blindado pela minha estratégia e por algumas pessoas.

Que pessoas?

Esse post é um gelinho de geladeira na ponta do iceberg, cara.

Eu tenho um grupo de pessoas que recebem emails, conversam comigo, pedem conselhos, etc.

Eu tô gerando valor de verdade pra essas pessoas, e elas me blindam.

Elas foram as primeiras a receber e comentar meu livro “O que Todo Mundo Deveria Saber Sobre Estratégia”. São elas que me colocam pra frente.

Eu acho que esse livro pode ser um primeiro passo pra você entender melhor seus objetivos e os fatores que cercam ele. Tudo o que você precisa pensar antes tá lá, bicho.

Dá uma olhada!

Clique Aqui para fazer parte e receber!

REFERÊNCIAS

Carton, A. M. (2018). “I’m Not Mopping the Floors, I’m Putting a Man on the Moon”: How NASA Leaders Enhanced the Meaningfulness of Work by Changing the Meaning of Work. Administrative Science Quarterly63(2), 323-369

Photo by NeONBRAND on Unsplash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s