Resiliência e Crescimento Exponencial

Há pouquíssimo tempo atrás, humanos pensavam de forma linear. Falo isso no sentido de que, se você tem uma empresa, para atender um cliente você precisa de um funcionário. Quanto mais clientes, mais funcionários. E era muito difícil conseguir um cliente. Você adicionava um tijolinho a cada dia trabalhado, era uma construção que seguia um padrão linear, todo dia adicionando um tijolinho até ter um castelo.

O que mudou esse paradigma foi a revolução digital. Livros viraram e-books, fotografias agora estão nos celulares, telegramas viraram mensagens de whatsapp, e-mails, e, arrisco dizer, universidades estão em risco de extinção por causa dos cursos livres online, se bem que isso vai demorar um pouco mais.

Diamandis e Kotler (2015) perceberam isso, e contaram a história da Kodak, a maior empresa de fotos do mundo, que chegou a ter mais de 140 mil funcionários, e que quebrou, por coincidência, no ano de lançamento do Instagram.

É fácil, se você pensar, quebrar uma grande empresa assim. Elas são frágeis, grandes dinossauros inflexíveis e de difícil adaptação. Odeio o termo, mas “startups” são bem mais ágeis e flexíveis – e geralmente digitais. E aí que começa tudo.

A digitalização de produtos e serviços possibilita que qualquer um lance alguma coisa com um custo que tende a zero – o Instagram valia 1 bilhão de dólares e tinha 13 funcionários. Entretanto, essa digitalização é seguida de uma fase que separa aqueles que realmente vão continuar daqueles que vão falir no meio do caminho. No começo, o crescimento é baixo, árduo, conseguir um cliente é complicado, tem que dar o sangue, tem que ralar, afinal, você é novo no mercado.

Mas não se engane. O crescimento nessa fase não é linear. É exponencial. Quando você começa um empreendimento, você está no nível, digamos, 0,0000001. Com esforço, você dobra isso e obtém um resultado ainda insignificante. E você continua precisando de muito esforço para dobrar isso, obtendo resultados insignificantes.  Geralmente aí o pessoal se decepciona, e desiste.

Aqueles que continuam, entretanto, presenciarão o seguinte fenômeno. 0,0000001 se transforma em 1 em algum tempo, e o crescimento continua a ser exponencial. Em pouquíssimo tempo, 1 vira 2, que vira 4, que vira 8, que vira 16, e em pouco tempo estará em 1.048.576. Que tal isso como renda mensal?

Moral da história? Empreendedores digitais devem ter mais resiliência. O crescimento inicial é muito baixo. Não tem muito o que fazer. A não ser que você tenha muito dinheiro pra torrar com propaganda, bicho, se prepare para passar uns bons 2 anos de vacas magras. Mas passada essa prova de ferro, a tendência é sempre melhorar, sempre exponencial.

Torço por você! Bora lá!

REFERÊNCIAS

Diamandis, P. H., & Kotler, S. (2015). Bold: How to go big, create wealth and impact the world. Simon and Schuster.

Ismail, S. (2014). Exponential Organizations: Why new organizations are ten times better, faster, and cheaper than yours (and what to do about it). Diversion Books.

Photo by Clique Images on Unsplash

Um comentário em “Resiliência e Crescimento Exponencial

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s